Quinta-Feira, 27 de Janeiro de 2022
Em SBC, direção do Sindema participa de grande ato estadual em defesa do PMMR

A direção do Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema participou na tarde e início da noite deste sábado (6) do grande ato estadual em defesa do projeto Meninos e Meninas de Rua e contra o despejo que pretende o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB). O projesto percorreu as ruas do centro da cidade como a Marechal Deodoro, passou pelo Paço Municipal, foi até a Chácara Inglesa – bairro onde mora o prefeito – e voltou ao centro por toda rua Jurubatuba.

No último dia 2, a Justiça o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo suspendeu a sentença de despejo da Organização Não Governamental. De acordo com informações divulgadas pelo jornal Diário do Grande ABC, “o efeito suspensivo foi concedido pelo juiz de plantão Marcos Pimentel Tamassia”.

Jandyra Uehara, diretora do Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema e secretária nacional de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT Brasil, participou da manifestação que reuniu crianças atendidas pelo projeto, seus familiares, parlamentares, além de representantes de sindicatos, centrais sindicais, partidos e organizações políticas e dos movimentos sociais.

“Parabéns a todas e todos que estão aqui hoje para garantir que o projeto Meninos e Meninas de Rua permaneça com suas atividades. Nós, da CUT e do Sindema, jamais poderíamos deixar de estar aqui porque o PMMR é uma referência nacional e serve de exemplo para outros projetos que nós temos em várias cidades espalhadas pelo país”, disse.

De acordo com Jandyra, “o PMMR é um símbolo de luta e resistência e por isso nós temos que defender com todas as nossas forças”. A diretora do Sindema também declarou “que a luta em defesa do PMMR é a luta do povo brasileiro que resiste aos governos de Orlando Morando, João Doria e Jair Bolsonaro”.

“Não vamos permitir que o prefeito Orlando Morando faça esse despejo do projeto que viola os direitos das nossas crianças e adolescentes. O projeto que eles têm para as nossas juventudes é o projeto do encarceramento. Este é o destino que eles querem para as nossas crianças e os nossos jovens”, concluiu.

Referência na defesa dos direitos das crianças e adolescentes
Desde 1983 na luta em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, o PMMR atende mais de 600 crianças de 42 comunidades de São Bernardo do Campo são atendidas pela ONG. A sede – que o governo Orlando Morando quer desalojar recebe atividades lúdicas e esportivas, oficinas educacionais e aulas de cursinhos pré-vestibular – está ameaçada de reintegração de posse desde 2019, quando a Prefeitura notificou o projeto de que a concessão do imóvel havia sido revogada.


Imprimir   Enviar para um amigo

Comentários

*Nome:
*Email:

*Comentário:

Seja o primeiro a comentar!

Vídeos